Os pisos não são todos iguais. Muitos deles têm funções específicas e, por isso, existem diferentes tipos indicados para cada ambiente.

Qualquer modelo de revestimento causa uma sensação diferente, seja ela sensorial ou perceptiva, que influencia diretamente no dia a dia dos moradores. Por causa desses efeitos específicos, é preciso considerar vários aspectos na hora da seleção do melhor piso.

Para saber como optar pela peça certa para as suas necessidades, separamos os principais detalhes que você deve considerar. Abaixo estão todos eles, confira!

Quais os tipos de piso para cada ambiente?

O piso é de extrema importância estética e funcional para uma residência. Seja durante a fase de construção ou reforma, a opção correta garante uma limpeza mais fácil, assim como a circulação de pessoas. Além disso, escolher o material certo deixa o cômodo mais aconchegante e funcional.

Para escolher o revestimento ideal, é necessário considerar alguns fatores, como durabilidade, instalação e manutenção. Além disso, um importantíssimo detalhe que é preciso considerar é o clima da região em que você reside.

Sendo assim, em locais com temperatura fria a preferência deve ser por pisos mais quentes e vice-versa. Mas, afinal, o que são pisos quentes e frios e para quais ambientes são indicados?

Pisos frios: cozinhas, banheiros e áreas de serviço

Os pisos frios são aqueles feitos em cerâmica ou vidro. Eles são considerados bons condutores de calor e, por isso, são capazes de reduzir a temperatura de um ambiente, de acordo com o clima do local.

Eles são mais fáceis de limpar e exigem pouco cuidados, portanto são indicados para áreas externas, de preferência os antiderrapantes. Também são adequados para a cozinhas, pois esse ambiente necessita de um material mais resistente, principalmente à água, arranhões e à circulação de pessoas.

Outros espaços que precisam de um piso durável é o banheiro e a área de serviço. Quanto menos poros o piso tiver, melhor, pois assim absorverão menos água. Nessa linha, encaixam-se o porcelanato esmaltado e as pastilhas. A sala, por sua vez, também pode ter o piso frio e receber um tapete para garantir que os pés de quem está vendo TV fiquem quentinhos.

Pisos quentes: salas e dormitórios

Já o piso quente não é capaz de conduzir muito bem o calor, fazendo com que ele mantenha sempre a mesma temperatura. Esse efeito é o responsável por dar a sensação de um chão aquecido durante o inverno.

Eles podem ser utilizados tanto na área social quanto na íntima — já ouviu dizer que não é recomendado pisar descalço no chão ao acordar, por causa da friagem? Então, um piso quente resolver esse problema.

As opções que entram nessa lista são os pisos de madeira, vinílico, taco e carpete. Não é recomendado utilizá-los nas áreas molhadas, pois absorvem água e podem mofar.

Como escolher o piso ideal?

A capacidade térmica do piso não é o único detalhe a considerar. Também é importante conhecer as vantagens e desvantagens dos tipos mais utilizados.

Porcelanatos

A instalação do porcelanato faz alguma bagunça, pois é preciso que o piso antigo dê passagem à chegada do novo. Ele é um revestimento cerâmico resistente, mas está sujeito à lascas e rachaduras. Apesar de ser do tipo frio, ele pode receber uma tecnologia de aquecimento própria, sendo ideal para entradas e banheiros em locais de clima frio.

Cerâmicas

Com um bom custo-benefício, sua instalação é bem simples e podem ser encontrados em tons coloridos e neutros; porém, elas podem manchar com o tempo.

Mármore

Muito sofisticada, essa pedra nobre exige cuidados de conservação, desde a limpeza até mesmo nas ações diárias. Afinal, sua porosidade faz com que ela manche com muita facilidade, até mesmo com alguns respingos de vinho.

Cimentícios

Tendência do estilo industrial, os cimentícios têm fácil instalação, por outro lado, podem aparecer manchas ao longo do tempo. Para evitar problemas na manutenção, é indicado o uso de resina com base acrílica para dar acabamento.

Laminados

Um dos tipos mais populares, os pisos laminados têm instalação simples, rápida e dispensam acabamento. São mais apropriados para o uso interno, pois podem danificar sob ação do sol ou tornar-se escorregadios e perigosos. São resistentes à riscos e um simples pano único é capaz de limpá-los.

Madeira

Quem investe na madeira, tem como consequência um belo complemento para a decoração. Ela traz aconchego aos ambientes, mas não é indicada para locais úmidos, a menos que receba tratamento especial.

Vinílico

Praticidade é seu sobrenome. Esse piso não mancha e não retém poeira, além de ter alta durabilidade. Sua outra vantagem é ser antialérgico e não fazer barulho quando se caminha sobre ele. Mesmo com todos esses pontos positivos, não é indicado para áreas molhadas e externas.

O que mais é preciso saber?

Para fazer a escolha certa, é importante considerar a sensação térmica e os benefícios, mas não é só isso! A seleção para chegar ao piso ideal inclui também as características da sua casa, já que escolher a peça certa é valoriza ainda mais o seu lar.

Ambientes maiores

Que o piso influencia na decoração você já sabia, mas que ele é capaz de reduzir e ampliar um ambiente, você imaginava? Pois bem, ambiente pequenos pedem pisos com medidas maiores! Curioso, não é? Mas é verdade!

Outro detalhe, que pode passar despercebido, porém que faz muita diferença, é a cor escolhida para o revestimento. Quanto menos traçado tiver, mais continuo ele parecerá, como se fosse uma única peça. Para esse efeito, seu tom deve ser neutro e o mais próximo possível da cor de pedra. Já o piso claro, reflete a luminosidade, fazendo com que o espaço pareça ainda mais amplo.

Já quando um ambiente é espaçoso, o ideal é evitar peças muito grandes, pois eles podem causar um desconforto visual.

Acabamento completo

Além do rejunte, o rodapé é parte essencial do acabamento e deve ser selecionado com os mesmos critérios do piso.

Existem duas formas de optar pelo rodapé. A primeira é considerar um tom neutro em conformidade com o piso, utilizando até o mesmo material. Já a segunda é investir no contraste tanto de cor como material como, por exemplo, utilizar porcelanato e acabamento em madeira.

Espaços combinando

Essa dúvida é muito comum, afinal, antigamente era normal encontrar pisos combinando por toda a casa. Hoje, entretanto, são consideradas as funcionalidades de cada espaço para selecionar o tipo de revestimento. Por isso, a mistura de pisos vai de acordo com a necessidade de cada ambiente.

Cores perfeitas

O tom perfeito é aquele que integra os espaços. Atualmente, os preferidos são os pastéis, o branco e o cinza, que criam a sensação de locais mais arejados. Os escuros não saíram de moda, aliás, pelo contrário, eles são atemporais, principalmente os de madeira e os porcelanatos.

Viu só como a escolha do piso vai muito além do quesito técnico ou financeiro? Não é uma escolha muito simples, mas calma! Você pode contar com ajuda profissional para enriquecer ainda mais sua obra ou reforma!

Quer saber quais os tipos de piso para cada ambiente da sua casa? Nós da EasyDeco vamos ajudar. Para saber como, entre em contato conosco. Estamos lhe esperando!