Você, certamente, já ouviu a frase “nem tudo o que reluz é ouro”, não é mesmo? No contexto de projetos luminotécnicos para ambientes, podemos adaptá-la para “nem tudo o que brilha, ilumina”. Isso quer dizer que, dependendo dos tipos de iluminação e luminárias que você escolher para determinado local da sua casa, em vez de iluminar, o efeito pode ser contrário — e escurecer ainda mais o espaço.

É por isso que é tão importante contar com profissionais especializados, que farão um estudo completo, levando em consideração as particularidades de cada construção e as necessidades do cliente.

Mas para não deixarmos você na mão, decidimos compartilhar algumas dicas que você mesmo poderá colocar em prática e deixar sua casa ou local de trabalho com a iluminação adequada. Ficou curioso? Então, continue a leitura!

Temperatura das cores

Existem diversos estudos que dizem que as temperaturas das cores podem influenciar nosso nível de atenção, irritabilidade, foco, relaxamento e descanso. Entretanto, temperatura, nesse caso, significa a tonalidade da cor que a lâmpada emana, não tendo absolutamente nada a ver com o calor físico que ela produz no espaço (como muita gente confunde).

Desse modo, quanto mais claras forem as tonalidades da luz, mais altas suas temperaturas serão. Os especialistas ainda afirmam que luminárias com cores quentes (laranja, vermelho, amarelo) tendem a provocar mais agitação, nos deixando mais focados e alertas, ideais para serem utilizadas em home offices, por exemplo.

As cores de temperaturas baixas (frias), por sua vez, (tons de azul, branco fosco, turquesa, verde) aumentam as sensações de relaxamento e tranquilidade, sendo perfeitas para iluminarem quartos e sala de estar.

Tipos de lâmpadas

Existem diversos tipos de lâmpadas disponíveis no mercado, sendo alguns deles:

  •  lâmpadas halógenas: destacam algum objeto decorativo do ambiente ou área específica;
  •  lâmpadas fluorescentes: iluminam os ambientes como um todo, sendo muito utilizadas em estabelecimentos comerciais;
  •  lâmpadas LEDs (Light Emitting Diode): economizam mais energia, têm uma vida útil maior e são de baixa temperatura.

Tipos de luminárias

Luminárias de teto

Esse tipo de luminária é utilizado para prover uma iluminação mais uniforme para todo o ambiente. Atualmente, os spots embutidos no gesso têm sido uma opção bastante utilizada, pois, além de iluminar, também proporcionam ao espaço um toque de modernidade e sofisticação.

Mas para quem quer fugir dos spots, existem também as luminárias chamadas plafons, que promovem uma iluminação mais indireta e difusa, uma vez que a luz é primeiramente irradiada para o teto e depois refletida para o ambiente.

Não podemos deixar de mencionar os famosos lustres e pendentes, que possuem uma função mais decorativa e um pouco menos funcional. Os lustres estão disponíveis em diversos tamanhos, modelos e cores, e costumam ter diversos pontos de luz.

Já os pendentes costumam ser conectados ao teto por um cabo ou fio elétrico e possuem somente um ponto de luz, podendo, dessa forma, projetar sombras.

Luminárias de mesa

Os abajures são as luminárias de mesa mais conhecidas, propiciando um espaço mais intimista e relaxante.

Mas para quem precisa do efeito oposto, existem as luminárias com foco dirigível, que proporcionaram uma luz direta e direcionada a um ponto específico, como computadores, livros etc.

Luminárias de parede

As luminárias grudadas na parede são conhecidas como arandelas, sendo muito utilizadas em ambientes externos, como jardins, áreas gourmet ou de piscina. Também podem ser colocadas em corredores, halls de entrada e salas de jantar, proporcionando uma sensação de acolhimento e conforto ao ambiente.

Luminárias de piso

Os abajures maiores também estão disponíveis para o piso, são bastante versáteis e podem ser utilizados em diversos cômodos da casa.

Nas áreas externas, uma luminária de piso bastante utilizada é a chamada up-light, que ilumina de baixo para cima e costuma ser utilizada para destacar vasos e cachepôs de plantas.

Como visto, existem diversos tipos de iluminação e luminárias disponíveis no mercado, mas o recomendado é que um especialista seja consultado para que não haja arrependimentos, e os ambientes consigam desempenhar plenamente as funções para as quais foram designados.

Gostou do artigo? Então, aproveite a visita e veja dicas de piso para cada ambiente!