Mobiliar a casa é uma tarefa que requer opções inteligentes. Afinal, saber como escolher móveis perfeitos é um grande desafio, já que é preciso considerar seu próprio gosto, o ambiente, além de preço e praticidade para o seu dia!

Mesmo que você esteja com muita ansiedade — o momento da compra da mobília geralmente é o mais aguardado —, é necessário ter calma e pé no chão. Nessa hora, a paciência conta muito para pesquisar opções que garantam qualidade, resistência, funcionalidade e, claro, para conferir algumas dicas que vamos contar!

Continue a leitura e saiba como acertar em cheio na escolha dos seus móveis!

Saiba como escolher móveis perfeitos

O primeiro detalhe a considerar são as características de cada cômodo da casa e o que não pode faltar em cada um deles.

Quarto

O quarto, por exemplo, deve considerar, acima de tudo, o conforto. Até porque ele é o refúgio sagrado depois de um longo dia fora de casa.

Sendo assim, no cômodo não pode faltar a cama, o guarda-roupa e um criado-mudo, que, às vezes, é considerado peça adicional, mas é de extrema importância para a comodidade. Esse pequeno móvel vai suportar a luz de um abajur para que você não tropece à noite e aquele copo de água da madrugada.

Cozinha

Aqui o essencial é a praticidade, ou seja, mobiliário funcional e de fácil limpeza. Esse é um espaço muito utilizado, e o que deve ser priorizado na cozinha é a circulação, já que não é uma boa ficar esbarrando em móveis com panelas quentes nas mãos.

Na lista de peças essenciais para esse cômodo está um amplo balcão com pia para dar o suporte necessário. Claro que também é imprescindível a presença de vários armários para armazenamento e até mesmo prateleiras, uma tendência do estilo escandinavo. Se houver espaço, uma bancada — famosa nas cozinhas americanas — é uma boa pedida.

Sala de estar

Esse ambiente requer a combinação de conforto + beleza. Isso porque, além de ser o principal ponto de encontro da família, receberá as suas visitas em momentos de confraternização.

Um sofá aconchegante, que acomode todas as pessoas da casa, um rack e a mesa de centro são básicos. Poltronas, puffs, nichos, aparadores e estantes podem ser adicionados conforme seu gosto e necessidade.

Sala de jantar

É comum que ela tenha pouco elementos e que você considere o espaço de passagem na hora de selecionar os móveis — nada pior que pessoas se esbarrando durante a refeição.

A escolha da mesa de jantar gera preocupação, mas existe uma dica infalível para acertar.

  • para 4 pessoas: redonda (diâmetro) — 90 cm; retangular — 120 cm X 60 cm;
  • para 5 pessoas: redonda (diâmetro) — 110 cm; retangular — 140 cm X 60 cm;
  • para 6 pessoas: redonda (diâmetro) — 140 cm; retangular — 180 cm X 90 cm;
  • para 8 pessoas: redonda (diâmetro) — 180 cm; retangular — 240 cm X 120 cm.

Além disso, é indicado o buffet para suporte de pratos e bebidas, ainda mais para quem aprecia ser um bom anfitrião.

Banheiro

O banheiro não precisa de muitos móveis, por isso, as peças têm que ter personalidade para auxiliar na decoração. O indispensável para esse espaço é o gabinete ou uma bancada bem bonita e com gavetas.

Entretanto, nesse ambiente o armazenamento é fundamental, principalmente para manter uma boa estética próximo à pia, que costuma ficar cheia de produtos de uso diário.

Para quem mantém muitos artigos nesse local, a dica é investir em uma estante com rodinhas, que é prática. Os nichos também são ótimos suportes, além de adicionarem charme ao banheiro.

Área externa

Ter uma área externa disponível é um verdadeiro diferencial na qualidade de vida de muitas famílias. Para mobiliá-la você deve considerar o tamanho do terreno e a forma como pretende usá-la — para as crianças ou para a família, por exemplo.

Independentemente da opção, a estrutura tem que ser resistente e os estofados impermeáveis. Dentre as peças ideais para esse local estão os conjuntos de cadeiras e poltronas, sofás e as confortáveis chaises. Para proporcionar sombra, se for uma necessidade, aposte no ombrelone.

Conheça seu espaço

Para comprar móveis não tem jeito: você precisa saber a metragem do local. Então, use a fita métrica ou trena para tirar as medidas. Com as anotações você pode começar a imaginar a posição das peças e fazer um esboço.

Outra opção é utilizar um aplicativo para medição e armazenar os números diretamente no celular. Bem prático, não é? Ah, lembre-se de contabilizar 90 cm de distância entre as mobílias para garantir a passagem confortável das pessoas.

Defina seu estilo

A melhor forma é buscar referências em projetos que você gosta ou nas redes sociais. Monte o seu painel de inspiração e não tenha vergonha de levá-lo na hora da compra, pois ele será sua orientação.

Essa etapa é muito importante. Imagine que você queira o estilo minimalista, mas compre muitos móveis e a casa acabe abarrotada? Além de gastar mais do que precisava, seus planos do design perfeito serão frustrados.

Considere seu dia a dia

Parece não ser muito relevante, mas acredite: escolher móveis que não têm nada a ver com a sua rotina pode ser sinônimo de trabalho em dobro.

Um bom exemplo é quando você quer investir em peças clássicas, super detalhadas, mas tem uma vida muito corrida e não dispõe de tempo para a faxina — e nem conta com uma pessoa responsável por isso. O resultado será uma poeira constante, que pode até estragar a peça.

Por isso, pense bem na hora de unir a estética com a funcionalidade ideal para sua rotina! Considere, sempre que possível, escolher opções funcionais e chegar ao estilo que quer investindo em uma decoração mais direcionada aos seus propósitos.

Analise a qualidade dos móveis

Durante a compra, a análise deve ser minuciosa, sempre considerando o custo-benefício do mobiliário. Nesse momento de pesquisa é importante observar alguns aspectos.

O primeiro deles é a estrutura do mobiliário. Com isso em mente, procure material estrutural de boa qualidade, como a madeira maciça e o aço inoxidável. Eles podem ser mais caros, mas têm maior durabilidade.

O acabamento também não pode ficar de fora da lista. Para avaliar esse quesito, vale apostar na dica da praticidade. Observe se os acabamentos correspondem ao estilo decorativo da casa. Veja, também, se os revestimentos e forros são fáceis de limpar e não deixe de perguntar sobre a qualidade do estofamento.

No mundo de hoje é imprescindível incluir o design e a tecnologia nas moradias. O design deve combinar com o que você deseja, ou seja, ter a sua personalidade, direta ou indiretamente, refletida no conceito. Já a tecnologia pode estar inclusa no fechamento e abertura de portas, por exemplo, assim como possibilitar que os móveis sejam multifuncionais.

Escolha as cores com atenção

Quais são as cores das paredes, do piso e da decoração? Essa paleta precisa estar em sua mente na hora de comprar os móveis. Isso evitará que você adquira peças que deixam o ambiente escuro ou monótono. Outro problema que pode ser evitado é mesclar o mobiliário com a parede, caso essa não seja sua intenção.

Para se nortear, monte uma paleta de cores e abuse do círculo cromático. Esta ferramenta mostra cores primárias, complementares e análogas que conversam entre si!

Acerte na disposição dos móveis

Não se sinta mal se não encontrar a harmonia no ambiente de primeira. Aliás, isso é super comum. Por isso, brinque e troque as posições até se sentir confortável com o espaço.

Uma boa dica é iniciar a tarefa com os móveis maiores — cama, sofá, bancada da cozinha — e alocar os menores em seguida. Assim fica mais fácil, já que grandes elementos são mais difíceis de serem acomodados em uma composição pronta.

Ufa! São vários detalhes para atentar quando o assunto é mobiliar a casa. Por isso, além de seguir nossas dicas de como escolher móveis, você pode contar com ajuda profissional desde o projeto até a compra — com auxílio é mais tranquilo na hora de acertar em cheio no acabamento, cor e estilo.

Escolher móveis já não é mais um dilema! Então, que tal fazer um Quiz de estilos de decoração para arrematar seus novos conhecimentos? Divirta-se!