É difícil encontrar quem nunca tenha aproveitado o potencial das flores e das folhagens para enfeitar a própria residência. Afinal, são recursos que adicionam cores, formas, volumes e texturas de forma simples. Suas aplicações são tantas que todo mundo deveria aprender sobre como usar plantas na decoração.

E você, tem incluído a vegetação nos ambientes da casa? Pois saiba que há uma infinidade de espécies para cultivar em áreas internas ou externas, de acordo com as suas preferências e necessidades.

Caso ainda tenha dúvidas sobre o assunto, fique de olho nas dicas que preparamos e confira bons motivos para apostar mais no verde!

Por que trabalhar com plantas?

Um gramado bem cuidado valoriza qualquer quintal, ao passo que um belo arranjo florido transforma o visual de uma mesa de refeições. Apesar de suas qualidades estéticas, as plantas não têm apenas função decorativa.

São seres vivos com a capacidade de trazer uma série de benefícios. Primeiro porque melhoram a qualidade do ar, produzindo oxigênio e capturando o dióxido de carbono da atmosfera — o que mantém os cômodos da casa purificados.

Suas folhas ajudam a reter a poeira e também podem atuar como barreiras físicas contra ruídos. Ao mesmo tempo em que embelezam o local, as plantas criam um clima agradável que aumenta a disposição e a produtividade das pessoas.

Devemos considerar, ainda, o poder das cores que predominam nas espécies vegetais. Os tons de verde encontrados na natureza são conhecidos por transmitir frescor e estão associados à saúde, equilíbrio, vitalidade, harmonia e esperança.

Quais cuidados devem ser tomados?

O primeiro passo para tirar proveito do verde é identificar locais que forneçam as condições adequadas para o desenvolvimento das plantas. Afinal, o nível de claridade, a frequência de rega e outros aspectos variam conforme a espécie.

Se você pretende utilizar mudas que demandam bastante sol, a dica é focar em áreas próximas das principais aberturas — portas, janelas, claraboias etc. Já as flores que gostam de sombra constante podem ser mantidas em corredores e cômodos mais fechados, desde que recebam um pouco de luz indireta.

Entre as espécies mais indicadas para decorar ambientes internos estão a samambaia, a peperômia, o ciclanto, a espada-de-São-Jorge, a lança-de-São-Jorge, a maranta e a palmeira ráfia. Cactos e suculentas também entram na lista e têm como principal vantagem a facilidade de manutenção.

Além de escolher o melhor local e as espécies certas, é importante ter cuidado com os recipientes utilizados. Eles devem ser adequados ao tamanho das mudas para não prejudicar suas raízes. Também observe o acabamento desses materiais para garantir que combinem com o estilo do ambiente.

Como usar plantas na decoração?

Há várias maneiras de compor arranjos com plantas. Dependendo do suporte, estrutura ou recipiente utilizado, é possível mantê-los diretamente no piso, sobre os móveis, pendurados nas paredes ou sustentados pelo teto.

Confira a seguir as nossas sugestões de uso.

Cachepôs

Práticos e fáceis de encontrar, os cachepôs são recipientes decorativos utilizados para cobrir os tradicionais vasos de plástico. Podem ser encontrados em diversos materiais, como madeira, bambu, concreto, vime, ferro e cerâmica.

Com formatos variados, incluindo opções quadradas, retangulares, redondas, triangulares e orgânicas, representam as melhores escolhas para quem quer compor arranjos individuais ou cultivar uma pequena horta em casa.

Você pode manter um grande cachepô no hall de entrada, posicionar um modelo entre dois sofás ou incluir versões em miniatura no peitoril de uma janela. Também é interessante distribuir várias peças em um canto do cômodo para trabalhar com o conceito de selva urbana.

Canteiros

Essas estruturas não servem apenas para residências com grandes quintais. Quem mora em um apartamento de cobertura ou no térreo de um edifício, por exemplo, pode aproveitar as áreas de canteiro para plantar mudas ornamentais, temperos e até ervas com propriedades medicinais.

A vantagem dos canteiros é que são superfícies amplas. Assim, permitem brincar com volumes e misturar plantas de diferentes espécies. Vale preenchê-los em camadas com gramíneas, forrações e arbustos de pequeno porte para obter um efeito natural ao decorar áreas externas.

Painéis

Feitos com ripados de madeira, troncos ou grades de ferro, os painéis são estruturas utilizadas como suporte para vasos e floreiras. Por serem fixados em paredes internas ou em muros, são indicados para quem deseja criar um jardim vertical.

A principal vantagem de se ter um mural verde está na economia de espaço. Afinal, você não terá plantas ocupando o piso da residência. Materiais alternativos também podem ser usados para customizar seu próprio painel, como os paletes e molduras antigas de quadros — que devem ter seu interior coberto por pequenas mudas.

Pendentes

Os arranjos pendentes são muito charmosos e, assim como os vasos em painéis, quase não ocupam espaço. Por ficarem suspensos, ajudam a preencher o fundo de uma parede sem graça e podem ser mantidos em diferentes alturas.

Você tem a opção de utilizar corda de sisal, correntes metálicas, macramê e até linha colorida para segurar os recipientes e pendurá-los a partir do teto. Também é possível fixá-los em ganchos dispostos na parede de uma varanda, de uma lavanderia ou de uma cozinha pequena.

Terrários

Já pensou em reproduzir uma incrível paisagem dentro de um recipiente de vidro? Pois é essa a proposta dos terrários, que podem ser montados dentro de aquários, potes de conserva, baleiros e até lâmpadas.

Como são peças que ficam apenas apoiadas sobre superfícies, os terrários se tornam excelentes alternativas para decorar imóveis alugados. Com eles, você não precisará furar paredes ou mexer na estrutura do teto para incluir mais verde em casa.

Para montar seu modelo, basta escolher um invólucro transparente e preenchê-lo com substratos em camadas na seguinte ordem: pedrinhas, areia, carvão vegetal, terra e mudas de suculentas — plantas pequenas são ideais para esse tipo de arranjo.

Com tudo pronto, é só escolher um local visível para que o terrário fique em evidência e possa ser contemplado pelas pessoas. Você consegue abrigá-lo em uma prateleira ou colocá-lo sobre o tampo de móveis — mesinha de centro, aparador ou bancada.

São tantas possibilidades que fica difícil escolher apenas uma. Em todo caso, lembre-se de que não basta saber como usar plantas na decoração. É preciso escolher espécies e recipientes que harmonizem com os principais itens presentes na casa.

Se você gostou deste conteúdo e quer ter acesso rápido às próximas publicações, assine a nossa newsletter! Assim, você começará a receber todas as nossas novidades diretamente em seu e-mail.